Brook Preloader

Papo de Especialista: Como manter a saúde mental em tempos de pandemia

Papo de Especialista: Como manter a saúde mental em tempos de pandemia

Texto escrito por Camila T. Brunetta Cola – Psicóloga especialista em Psicologia Clínica.
CRP 06/141065

Com o avanço da pandemia do novo coronavírus, iniciada no ano passado, muitas pessoas passaram a se sentir mais ansiosas. E você sabe por que isso acontece? Vou te contar, agora, neste post. Confira!

A pandemia representa um sinal de ameaça à nossa sobrevivência, e nosso corpo, automaticamente, reage para se proteger e buscar segurança. Então, a ansiedade surge como resultado do acúmulo de medo e da vontade de fugir do risco iminente de perigo. Quem aí não sentiu vontade de sair correndo durante a pandemia ?!

Leia também: O que você precisa saber para transformar sua autoestima

Há grandes chances de você ter se sentido ansiosa em algum momento durante os últimos meses, mas a verdade é que a ansiedade representa uma reação natural do corpo e pode ser considerada saudável para o nosso funcionamento.

Como identificar o nível de ansiedade elevado?

Em níveis elevados, a ansiedade é altamente prejudicial à nossa saúde e qualidade de vida. Então, atente-se a esses sinais: irritabilidade, inquietação, insônia, pensamentos acelerados, falta de ar e palpitações. Eles são os principais sintomas que caracterizam um quadro de ansiedade que requer atenção. Caso você identifique esses sinais, procure um psicólogo para te auxiliar.

E apesar do conceito de ansiedade ser comum para todos, cada pessoa vivencia a ansiedade de forma única, de acordo com a sua história pessoal e seu momento de vida. E para você que está com o nível de ansiedade elevado, vou te ensinar algumas estratégias que poderão te ajudar.

Como reduzir os níveis de ansiedade?

Primeiro, você precisa entender qual o papel da ansiedade em sua vida. Seja sincera com você mesma e responda 2 perguntas super importantes: você sente ansiedade do quê? E para quê? Quando você responde a essas perguntas, você identifica a origem e a função que estão escondidas atrás dos sintomas ansiosos.

E aqui estão algumas tarefas para você praticar no seu dia a dia: meditação, técnicas de respiração e conexão com o momento presente. Preste atenção ao seu redor e em você. Como está o seu corpo agora? Voltar-se para o tempo presente é o segredo para manter a sua qualidade de vida neste momento.

Ansiedade e rotina

Vale lembrar que o objetivo principal em meio a essa crise que estamos vivendo é a nossa sobrevivência, por isso o bom funcionamento do nosso corpo é indispensável e depende de uma rotina organizada, de acordo com as nossas necessidades individuais.

Como manter a rotina e o autocuidado?

Você sabia que começar o dia com um momento de autocuidado gera segurança e disposição para você se manter em equilíbrio?

E o autocuidado não precisa ser complicado, não. Na verdade, ele acontece nos pequenos detalhes, como no momento em que você dedica um tempo para si, quando você se atenta às suas necessidades físicas e emocionais e, principalmente, nos rituais de cuidado com o seu corpo-mente-espírito.

Já pensou o que você pode fazer hoje para tornar seu dia melhor?

Os momentos de autocuidado têm relação direta com amor próprio, que surge tanto de dentro pra fora como de fora pra dentro. Por isso, pare um momento do seu dia e busque compreender o que você está sentindo, conecte-se com o momento presente, cuide da sua rotina, realize as suas tarefas, identifique as necessidades do seu corpo e da sua mente e mantenha seus rituais de cuidados pessoais.

Dedique, inclusive, um tempo de descanso para se restabelecer e se sentir preparada para o próximo dia. Dessa forma, garanto que você encontrará o caminho para o seu equilíbrio emocional.

Ah! E lembre-se de buscar a ajuda de um profissional psicólogo em casos graves de ansiedade.