A gente já sabe que os cuidados com a beleza são super importantes e têm um efeito positivo comprovado para a autoestima. As unhas bem feitas são um dos aspectos fundamentais para manter a beleza em dia, mas ainda tem muitas mulheres que dizem sofrer com alergias dos esmaltes.

Vocês já devem ter percebido que as opções de esmaltes hipoalergênicos vêm se multiplicando na lojas, né? Está aí uma super solução para os casos alérgicos e nocivos à saúde. Entenda abaixo por quê:

Esmaltes comuns e alergias:

Os esmaltes comuns – que são a maioria – possuem alguns elementos químicos que, de fato, desencadeiam reações alérgicas em algumas pessoas com maior sensibilidade.

A indústria dos cosméticos, no geral, usa bastante os componentes químicos e no caso dos esmaltes, esses elementos são usados com frequência para melhorar o aspecto do acabamento e durabilidade.

Elementos químicos responsáveis pelas reações alérgicas:

Formaldeído: o famoso “formol” aparece nos esmaltes comuns e tem como função dar mais durabilidade ao produto quando aplicado nas unhas. O componente é forte e tem uso controlado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Tolueno: o componente químico aparece nas fórmulas dos esmaltes dissolve melhor a resina do esmalte, melhora a aplicação e auxilia na secagem mais rápida e eficaz.

Dibutilftalato (DBP): É usado como plastificante para dar mais durabilidade e flexibilidade ao esmalte.

Alergias causadas pelos esmaltes comuns:

As mais comuns que aparecem nas pessoas mais sensíveis aos componentes químicos presentes nos esmaltes são: vermelhidão na cutículas e coceiras ao redor das unhas, pálpebras e região do pescoço – regiões mais tocadas pelas mãos.

É muito importante que, se sentir qualquer um desses sintomas, procure um médico dermatologista para se certificar de que são alergias e evitar possíveis sintomas mais graves.

Esmaltes Hipoalergênicos:

Os esmaltes hipoalergênicos chegaram no mercado já há algum tempo com a promessa de evitar as reações alérgicas em pessoas sensíveis aos componentes químicos dos esmaltes comuns.

Os hipoalergênicos aparecem, em sua maioria, sem formaldeído, tolueno e DBP em sua composição. Mas fiquem atentas: além de conferir a composição na embalagem, é muito importante chegar se o produto foi inspecionado e aprovado pela ANVISA.

Ainda que os esmaltes hipoalergênicos não possuam os principais componentes químicos que provocam as alergias, apenas o rótulo e as informações sobre composição não são garantia de que nenhuma reação apareça.

Alguns especialistas preferem dizer que os esmaltes hipoalergênicos diminuem o risco de sensibilidade.

Hipoalergênicos 3 free, 5 free e 7 free:

É claro que os esmaltes hipoalergênicos não são todos iguais. Em praticamente todos, aparece a indicação “free” que quer dizer que é um produto livre de algum componente químico prejudicial à saúde. Mas o que os diferencia é o quantidade desses componentes free.

3free: são os esmaltes livres do 3 elementos citados acima – formaldeído, tolueno e DBP.

5free: além do formaldeído, tolueno e DBP, também são livres de cânfora e resina.

7free: são os esmaltes com maior garantia de proteção – são livres dos 5 componentes acima e de conservantes e petrolatos.

Durabilidade dos esmaltes hipoalergênicos:

Os esmaltes hipoalergênicos, por não possuírem os componentes químicos dos esmaltes tradicionais podem ser pouco eficazes na durabilidade do produto nas unhas.

Existem algumas formas de prolongar o efeito desses esmaltes nas unhas:

No dia da esmaltação, passe uma camada de top coat sobre o esmalte para prolongar a durabilidade e ainda garantir mais brilho.

Evite tomar banhos muito quentes – a alta temperatura da água amolece as unhas e cutículas, e o esmalte pode descascar com mais facilidade, principalmente os hipoalergênicos.

Na hora de fazer a unhas, opte por não polir antes de aplicar o esmalte. pois as unhas ficam mais lisas e dificulta a aderência do produto.